Fraldas Ecológicas

Algumas amigas me perguntaram sobre as fraldas ecológicas que uso em Vinícius e a resposta vem em forma de post:
Uma cliente da Papel em Flor (a Amábile) me apresentou as fraldinhas de pano quando eu ainda estava grávida. Por causa da variedade de estampas e das promessas de economia e conforto para o bebê, me apaixonei logo.

Comecei a usá-las quando Vinícius tinha uns 2 meses. Desde os 3 usamos em tempo integral, mas por praticidade ainda uso fralda descartável quando vou para Campina Grande ou quando vamos sair (e ainda assim dependendo do lugar!).

Ah, mas dá para usar fralda de pano fora de casa tranquilamente!

– O que são as fraldas ecológicas?

Eu costumo dizer que são uma versão modernas da clássica “fralda enxuta”. As modernas são feitas de um tecido especial que deixam a sensação de seco para o bebê mesmo depois do xixi. Existem vários modelos, mas o mais comum é o modelo pocket. Essa é uma fralda com um bolso onde se coloca um absorvente que também é de tecido. Tudo é reutilizável e pode ser lavado na máquina.

Os argumentos à favor do uso das fraldas ecológicas incluem menor impacto ambiental (comparando ao lixo produzido pelas fraldas descartáveis), menor exposição dos bebês à agentes químicos (que são abundantes nas fraldas descartáveis), maior conforto para o bebê (as descartáveis são puro plástico), desfralde mais cedo, além do fator econômico, inclusive para pomadas de assaduras.
Ah, e também estilo! hahahaha É porque é uma delícia escolher qual estampa usar e combinar as roupinhas. =)
Fazendo as contas...

Fazendo as contas…

– Quantas fraldas são necessárias?
Eu tenho 21 fraldas. Essa quantidade me permite usá-las em tempo integral e lavá-las a cada 3 dias no máximo. Lógico que a aquisição das fraldas requer um gasto mínimo de 500,00 reais mais ou menos. Mas: se você compra uma fralda tamanho único ela pode ser usada desde recém nascido até o desfralde. Então em termos econômicos é uma boa ideia! Basta pensar que comprando 2 pacotes de fralda descartáveis por mês você gastaria em torno de 120,00 reais e que vão diretamente para o lixo. As fraldas de pano podem ser reaproveitadas em outras crianças, vendidas ou trocadas depois.
Existe no Facebook um grupo para trocas e venda de fraldas de pano usadas. Eu comprei 3 usadas e achei um ótimo investimento. Elas absorvem bem mais que as outras nacionais novas que comprei, por exemplo. Então ainda existe essa opção para quem quiser economizar no enxoval das fraldas. Se você quiser usá-las também pode fazer um chá de fralda de pano ou incluir as fraldinhas nas listas de chá de bebê. :)
Algumas fraldinhas da coleção de Vini. :)

Algumas fraldinhas da coleção de Vini. :)

Uma fralda pocket. Dentro do bolso coloquei um absorvente de bambu e um de microfibra.

Uma fralda pocket. Dentro do bolso coloquei um absorvente de bambu e um de microfibra.

A fralda pocket pode ser usada como capa. Com o absorvente por cima. Atenção: os de microfibra não devem entrar em contato com a pele do bebê!

A fralda pocket pode ser usada como capa. Com o absorvente por cima. Atenção: os de microfibra não devem entrar em contato com a pele do bebê!

– Como é a lavagem das fraldas?
A lavagem requer um cuidado especial, mas nada trabalhoso. É que não devemos usar muito sabão para lavar as fraldinhas, pois elas ficarão impermeabilizadas e assim acontecerão vazamentos. De qualquer forma, acredito que inevitavelmente, uma vez ou outra, elas vão impermeabilizar pelo contato com outros agentes até no processo de lavagem. Se isso acontecer, basta fazer uma lavagem com detergente de louça para que ele retire a gordura (da própria pele do bebê) que fica nas fraldas. Eu fiz isso recentemente e deu certo.
Depois da lavagem com detergente, enxaguei de novo e coloquei para secar.
Geralmente eu lavo as fraldas com as roupinhas: para o nível 4 da máquina coloco meia tampinha de sabão de coco líquido com enxague extra e ainda repito só o enxague mais uma vez.
As fraldas de xixi jogo diretamente na máquina. As de cocô eu tiro o excesso antes. (Eu não tiro o excesso logo após trocar a fralda, espero um pouquinho, pois o cocô mais ressecado fica mais fácil de tirar com uma escovinha… rs)
Se depois da lavagem ficar alguma manchinha na fralda tenha em mente que a fralda está limpa, mas manchada. Para tirar a mancha é só deixar pegar um solzinho. Funciona mesmo. O sol tira as manchas de cocô rapidinho! :)
Ah, e por causa do risco de impermeabilização não se deve usar pomadas de assaduras no bebê. Isso é outra economia! rsrsrs
Eu li em algum lugar que a indicação das pomadas é certa no uso das fraldas descartáveis porque aquele gel que elas possuem é que faz o bebê ficar assado. Como isso não existe nas fraldas de tecido, as mães podem ficar despreocupadas. Por aqui Vinícius nunca assou usando as fraldinhas de pano. ^^
– Para comprar as fraldas:
É preciso saber que existem vários modelos, marcas e materiais de fralda de pano.
As fraldas nacionais são lindas pelo design, as estampas e a modelagem é bem atraente e diferenciada. As chinesas são mais práticas, pois secam mais rápido, e absorvem melhor. Mas no quesito “estilo” saem em desvantagem.

Ainda assim, as chinesas são minhas preferidas.
Tenho algumas nacionais de marcas variadas. No começo elas funcionaram muito bem, mas logo começaram a apresentar vazamentos, não importa o que eu faça para evitá-los.
Das nacionais a que mais gosto é a Dipano. Comprei três fraldas Dipano usadas e foi um ótimo investimento, são tão absorventes que gosto usá-las à noite, para as 10h de sono de Vinícius.

Também adoro as chinesinhas. Até agora testei e aprovo as marcas: Coolababy e as fraldas de minky da Alva. Quase nunca vazam, secam super rápido e são bem lindinhas também!

Vini usa fraldinhas de pano desde os 2 meses de idade. :)

Na linha de cima fraldinhas nacionais. Na de baixo as chinesinhas.

Quanto aos absorventes tenho de algodão, microfibra (3 camadas) e de bambu (5 camadas). Eu uso mais os absorventes de bambu que possuem mais capacidade de absorção. E agora que o xixi dele está aumentando de volume, as vezes combino 1 de bambu com 1 de microfibra para a fralda noturna.

– Mais dicas:
No grupo do Facebook existe muita troca de informação, dicas e documentos explicando melhor cada tipo de fralda/absorvente.
No youtube tem vídeos explicativos.Eu gosto muito desse vídeo aqui, por exemplo.
– Onde comprar fraldas de pano?
Existe muitas lojas virtuais, principalmente pelo Facebook que vendem as fraldas. Aqui em João Pessoa, as fraldas podem ser compradas com o pessoal da Bumbum do Sertão. As meninas também ajudam e dão dicas no uso das fraldinhas.

Sou doula!

 

Do dia 03 ao dia 06 de outubro estive fazendo o curso de formação de doulas pelo GAMA.

O GAMA (Grupo de Apoio à Maternidade Ativa) é pioneiro na capacitação de profissionais pela humanização do parto. Muita gente importante no cenário da humanização passou por lá e continua passando…

Agradeço ao meu marido por ter insistido que eu fizesse o curso (obrigada, amor!), pois além de uma oportunidade de capacitação, foi um momento de muitas reflexões para mim. Saí renovada e com energia para realizar muita coisa nova na minha vida.

Prática de massagens e toque

Prática de massagens e toque

Segundo dia de curso

Segundo dia de curso

Há alguns dias eu vinha conversando com Lisley sobre a ideia de montarmos uma roda de gestantes e mães lá em Campina Grande, pois sentimos essa ausência de informações e de apoio às mães por lá. Durante o curso, compartilhei minha ideia com Juliana e ela falou que se eu quisesse podia levar a Gestar e Maternar para lá. Achei ótimo! Então, o primeiro fruto desse curso é a “filial” Gestar e Maternar em Campina. Estamos conversando, sem pressa, para fazer tudo bonitinho e da melhor maneira possível, nos aguardem! ^^

Eu, Melânia Amorim e as facilitadoras da Gestar e Maternar.

Eu, Melânia Amorim e as facilitadoras da Gestar e Maternar.

 

**

Ontem meu pai ficou me perguntando para que danado eu inventei de fazer esse curso, pois segundo ele, deveria estar estudando para concursos.

Isso foi um tema das minhas reflexões… cada vez que alguém me pergunta POR QUE eu faço origami, curso de cinema, curso de doula ou qualquer outra coisa ao invés de estudar para concurso, confesso que nunca tenho vontade de responder por que quem elabora esses questionamentos dificilmente entenderá que mais importante que estudar é aprender, conhecer.

E o aprendizado não deve estar focado em apenas 1 área de interesse. Tudo está interligado e se complementa numa enriquecedora experiência de aprendizado, de aprofundamento e consciência. A vida é tão imensa, tantas coisas bonitas e interessantes no mundo para eu reduzir meu tempo a códigos e teoria jurídica. Ah, eu não… não agora.

Sempre soube que eu sou muitas coisas, que eu posso fazer muitas. Deus me deu muitas habilidades e muitos interesses. Estive me desviando da minha essência, mas, no auge dos meus 25 anos, decidi: vou ser tudo que quero ser!

**

Fotos: Cíntia Mapurunga