Brinquedos

Aproveitando um post anterior sobre o método Montessori, nesse quero falar mais dos brinquedos e atividades sensoriais.

É importante ressaltar que Maria Montessori dizia que o aprendizado da criança passa pelos sentidos. Assim, segundo o método, é importante oferecer brinquedos que permitam uma variedade de texturas, materiais e temperatura. Antes mesmo de conhecer essas ideias, eu já me preocupava em comprar brinquedos de madeira, tecido e outras opções mais criativas.Tudo foi se encaixando e o quarto que planejei para ele no começo, fugindo da tendência provençal e clássica, caiu como uma luva aos conceitos que tento praticar no dia-a-dia: estímulos sensoriais que permitam descobrir e testar o mundo em diversas cores e texturas (isso inclusive me levou a uma introdução alimentar diferenciada, mas isso é assunto para outro post!).

brinquedos de madeira :)

brinquedos de madeira que comprei pensando inicialmente em decorar o quarto de Vinícius com eles. :)

Evito brinquedos exagerados (aqueles super barulhentos, coloridos e brilhantes) e dou preferências a formas simples e diferenciadas. É difícil fugir do plástico, mas quando existe outra opção essa geralmente é minha escolha.

Também gosto de construir brinquedos com o que tenho em casa. Um que foi uma distração por muito tempo aqui foi esse tubinho com contas  e botões:

tubo com continhas

tubo com continhas

 

Nesse site tem uma compilação de 56 ideias de brincadeiras sensoriais para crianças. Muito legal!

A caixa sensorial pode ser feita também sem a gelatina, usando grãos ou areia, por exemplo. A ideia é uma busca pelo tesouro, sejam brinquedos imersos em gelatina, água colorida, grãos, areia… desde que o material usado seja adequado para a idade da criança. Nesse link (de onde tirei a foto abaixo) tem outras ideias:

caixa sensorial 2

Caixa sensorial com grãos.

Outra atividade legal é pintar brinquedos de madeira. Comprei esses pensando também na decoração do quarto dele, mas acabei não usando. Estão guardados para fazermos essa atividade quando ele estiver maior:

uma atividade interessante e divertida para bebês maiores

uma atividade interessante e divertida para bebês maiores

E também a clássica massinha que pode ser feita em casa. Aqui tem uma receita bem legal.

massinha-caseira

fonte: http://dicasmiudas.com.br

 

Outra coisa que eu adoro são os “quiet books”. Esses são livros de tecido com atividades que exigem coordenação motora e atenção. Para minha surpresa ganhei um num sorteio que rolou no Facebook tempos atrás. Lindo demais!!!

Vinícius ainda é novo para esse tipo de brincadeira, por isso o brinquedo está bem guardado esperando a hora de ser usado. O painel de atividades vem numa bolsinha e é tudo muito bem feito, quem gostou pode encomendar esse e outros modelos pela loja da Mater Originalis, com entrega para todo Brasil.

DSC04861

A bolsa vem com 3 atividades costuradas em feltro

DSC04862

Trabalha cores e formas

DSC04863

Trabalha coordenação motora e concentração ao abotoar e desabotoar as florzinhas

E para quem gosta de por a mão na massa mesmo (como eu!) e sabe se aventurar pelas linhas e agulhas (eu bem que tento!), pela internet afora tem muitas ideias de quiet books, que variam de acordo com a faixa etária da criança e diversos temas.

Esse site é um paraíso de tanta lindeza! Com moldes, instruções e tudo o mais:

IMG_3477

Fonte: http://www.imagineourlife.com

Fonte: http://www.imagineourlife.com

Fonte: http://www.imagineourlife.com

 

Nesse link você pode encontrar mais ideias de atividades sensoriais.

Acho que com esse post deu para ter uma ideia do tanto de coisa legal que podemos fazer com nossos filhos. Brincadeiras que estimulam a criatividade, imaginação, concentração, coordenação motora. Faz bagunça? Sim. Suja muito? Provavelmente. Mas desligue a TV, tire uma horinha por semana e aproveite esse tempinho para mostrar ao seu filho que você está ali disponível para brincar com ele e mergulhar no seu mundo. Aproveite a oportunidade, e se reinvente, redescubra o mundo… faça as pazes com a sua infância e se deixe levar pela curiosidade e perspectiva de uma criança. :)

O Quarto Montessoriano de Vinícius

O método Montessori é aplicado em diversas áreas da educação infantil e se utiliza de várias estratégias. Dentre outros princípios, ele prega a autonomia da criança, uma educação sensorial e a construção de um espaço onde ela possa desenvolver e explorar suas habilidades naturais, através do estímulo e da curiosidade.
Os quartos montessorianos não possuem berço. A cama fica no chão para que a criança possa subir e descer de acordo com sua vontade. Um espaço de atividades com espelho permite que ela observe seus movimentos e tenha maior consciência corporal. Uma caixa de brinquedos acessível, livros à mão também.
Eu sempre achei linda a proposta de um quarto assim, mas só vim conhecê-la melhor depois que Vinícius nasceu. Então, tínhamos montado um quarto tradicional com berço e tal. Desde os primeiros dias preferimos fazer  cama compartilhada, então usamos muito pouco o berço. De qualquer forma, ele foi importante na preparação psicológica durante a gravidez. Ter um quarto tradicional certamente me ajudou a processar a informação de que em breve teríamos um bebê em casa. :)
o antes

o antes…

O quarto montessoriano de Vini :)

e o depois!

Aproveitei que ontem eu estava animada e inspirada para organizar o novo quarto de Vinícius. Com objetos simples acho que consegui dar um ar lúdico e leve ao quartinho dele, que ainda não serve para ele dormir, mas servirá para brincar, com certeza. :)

O colchão foi para o chão. Pensei em usar pallets, mas deixei esse detalhe para a próxima fase quando ele passar a dormir no próprio quarto (e aí faremos outra mudança! ^^)

um dos melhores achados: animaizinhos de origami iluminados

um dos melhores achados: animaizinhos de origami iluminados

Ao lado do colchão um tapete lindo e colorido comprado no mercado de artesanato da cidade, um espelho comprado no supermercado e uma moldura de passarinho em mdf que era todo branco, mas a inspiração bateu e eu pintei em degradê ontem mesmo.

DSC05019

Para os quadrinhos da parede usei papel de scrapbook, colei ilustrações e mandei emoldurar com madeira de demolição, ficaram lindos e baratinhos!

in love total com esses quadrinhos

in love total com esses quadrinhos

Ao lado do quadro com o “carimbo” da placenta que nutriu e desenvolveu meu bebê, um filtro dos sonhos feito por um amigo nosso:

DSC05015

Em outra parede os banquinhos de lápis que estão no quarto desde a sua “primeira versão” agora servem de apoio para os dedoches de circo que eu comprei e os de animais em crochê ganhados da tia Natxi. É onde também ficam os mini-livros do Pequeno Príncipe, presente da tia Best e o de Pensamentos de Che Guevara.

lápis que dão [[[[[[[[[[[[[[[[[

o mini-livro de Che foi presente do papai, para que nunca haja dúvidas de qual direção seguir! rsrs

Se eu fosse seguir à risca a orientação do método Montessori os quadros e enfeites da parede estariam mais baixos, na altura do olhar da criança, pois a intenção é que ela sinta e perceba que as coisas estão ao seu alcance. Mas como eu só conheci o método depois que estava tudo furadinho na parede, permanece assim. Quando ele começar a ficar em pé, se apoiando em algo, vou colocar barras na parede e aí tentar trazer, ou melhor, incluir umas decorações na altura dele também.

Por enquanto fica apenas o tapete no chão com o espelho ao lado e as caixas de brinquedo e livros acessíveis (em outro post pretendo falar mais sobre os brinquedos e atividades sensoriais para bebês e crianças).

DSC05024

caixote e cachepô de plástico comprados no supermercado servem para organizar os livros e brinquedos

.

Sei que em breve ele aproveitará muito mais esse espaço. Enquanto isso, fico suspeitando que montei o quarto mais pra mim do que pra ele… rsrsrs

DSC05038

Espero que tenham gostado. Qualquer dúvida terei prazer em responder nos comentários. :)

 

 

 

 

Iniciando o método Montessori

Não sei bem como cheguei ao método Montessori.

No início ficamos um pouco hesitantes. Surgiram algumas dúvidas quanto  a esse método que prega a autonomia da criança (ficamos com medo do que essa autonomia poderia representar rsrsrs).

Mas à medida que eu ia lendo mais blogs de famílias que viviam o método eu fui me apaixonando. Confesso que fiquei encantada porque a criança que eu fui teria sido muito feliz sendo educada nesse método. Me identifiquei. Acredito que o encantamento veio mais de ver a prática de algumas famílias do que a teoria montessoriana em si. (Uma amiga ficou de mostrar uma visão contrária ao método, mas até lá seguimos encantados. hehehe)

A verdade é que toda vez que entro em um blog como o How We Montessori fico invejando a vida tão criativa e divertida daquelas crianças. hehehe Outro dia li no grupo Montessori para Mamães no Facebook uma postagem onde a mãe relatava uma brincadeira com a filha, inserida no contexto de educação cósmica. Ao ser questionada pela filha sobre os tempos pré-históricos, ela criou uma brincadeira onde a filha pudesse “vivenciar” a explicação. Construiu uma caverna com papel kraft, registrou no papel desenhos rupestres, moldou com argila utensílios… Bom, quando eu li isso pensei: “Uau!! Que massa isso!! Quem não queria aprender assim?”

Como eu sempre AMEI atividades manuais e criativas sempre pensei em realizar com meus filhos atividades assim, que exigissem criatividade e mão na massa. Mas eu não sabia que existia toda uma teoria voltada para a educação sensorial. Na verdade eu não fazia ideia que existia tanta coisa no mundo da maternidade… hehehe Desde que engravidei e comecei a pesquisar sobre o parto mais e mais assuntos foram (e vão!) surgindo. São tantos questionamentos… é tanta novidade, tantas leituras que eu gostaria de fazer outras que não posso deixar passar… enfim…  a maternagem ativa nos faz pensar fora da caixa. E antes de engravidar eu pensava que só existia essa maternagem padrão, tudo pronto dentro da caixa, comum em todas as famílias: dvd para entreter, papinha para alimentar, chupeta para acalmar, fralda para descartar… Estou adorando o outro lado, esse universo questionador da maternidade!

Assim, resolvi testar algumas ideias montessorianas. Ainda estou criando coragem para montar um quarto montessoriano de verdade, enquanto isso improvisei na sala mesmo um espaço para ele brincar:

Espaço montessoriano improvisado na sala

Espaço montessoriano improvisado na sala

 

Foi muito bonitinho quando coloquei ele no tapetinho e ele se viu no espelho… ficou se admirando um tempo, depois brincou com o móbile e ficou ali sozinho uns 20 minutos (qualquer mãe sabe que isso é um super tempo precioso!)

Primeiro dia no "espaço montessoriano"

Primeiro dia no “espaço montessoriano”

Adora brincar com a imagem no espelho.

Adora brincar com a imagem no espelho.

Para a idade dele, além desse espaço, o que dá para fazer são móbiles mais “cleans”, valorizando formas geométricas e cores primárias. O primeiro que fiz foi o móbile Gobbi, antes mesmo do espaço na sala. De início ele não se interessou muito, pois até então ele não se interessava por móbiles ou coisa do tipo. Mas um belo dia, enquanto almoçávamos, ele começou a olhar fixo para as peças do móbile e sem muita coordenação ficou tentar pegá-las. Quando conseguiu foi logo puxando para colocar na boca. Foi tão lindo ver essa evolução! Eu e Flávio ficamos achando que essa coisa móbile montessoriano funciona mesmo. hehehe

Inspirado no móbile Gobbi, mas feito com módulos Sonobe em origami.

Inspirado no móbile Gobbi, mas feito com módulos Sonobe em origami.

Resolvi testar o interesse dele por outros móbiles e para fazer um rodízio fiz também o móbile geométrico em cores primárias (esse é a junção de dois móbiles montessorianos). Usei cortadores de papel para esse.

Móbile geométrico em cores primárias

Móbile geométrico em cores primárias

Arrnacou os outros dois, só sobrou o amarelo.

Arrancou os outros dois, só sobrou o amarelo.

Também fiz móbiles com guizos e argolas de madeira, gostei muito de usar os guizos, mas só depois percebi o perigo que é! Pois os guizos podem sair do fio e o bebê acabar engolindo.

adorou essa argola com guizos, só depos percebi o perigo! rsrs

Adorou essa argola com guizos, só depois percebi o perigo! rsrs

A argola de madeira (sem os guizos) é um dos brinquedos preferidos.

A argola de madeira (sem os guizos) é um dos brinquedos preferidos.

Por fim, fiz o móbile arco-íris, todo de papel. Começou a desmanchar na boca de Vini, então desisti dele também. Mas como Vinícius gostou muito vou tentar fazê-lo de feltro. Quem quiser pegar mais dicas sobre os móbiles, nesse link (em inglês) tem vários modelos e por faixa etária.

 

Arco-íris de papel.

Arco-íris de papel.

Depois desse estímulo sensorial e visual, achamos que ele desenvolveu mais o tato e a coordenação motora que já são peculiares dessa idade. Tudo quer pegar, tocar, colocar na boca… nem o papai escapa:

Experimentando as texturas no rosto do papai.

Experimentando as texturas no rosto do papai!

 

Para saber mais sobre o método Montessori indico também o blog Lar Montessori.

– Ih, Vini, acho que a gente vai se divertir muito, viu! Te amo! :)