as voltas que a vida dá

Hoje por acaso falamos do meu blog, pelas circunstâncias ocultas do universo já estava pensando nele há alguns dias. Pensei em trocar o nome, é tão vaidoso ter um blog com seu próprio nome, pensei. Contudo, à época em que o criei eu achava apropriado, afinal, era um blog sobre mim, escrito por mim. Bom, mas vamos lá…

Antes que eu pudesse lembrar novamente do blog, e daquele desejo de vir aqui dar aquela atualizada, uma grávida que acompanhei compartilhou o link do relato que fiz do seu parto. E assim, as teias invisíveis trouxeram meu bloguinho à tona outra vez.

Pra mim esse espaço é sagrado, por algumas razões: eu adoro escrever e ter um blog é uma boa desculpa para isso; adoro compartilhar minhas experiências, descobertas, catarses, pois na outra mão, aproveito, aprendo e me delicio com as experiências alheias também; sou da turma old shcool em que blogs eram no Blogger e tinham nomes esquisitos (confesso que coloquei meu próprio nome por falta de criatividade mesmo!) e as pessoas faziam daquilo seu espaço de expressão, dava pra sentir/ver/saber/conhecer as pessoas através de seus blogs… enfim… a verdade é que eu tenho um apego danado a isso aqui.

Mas queria dizer que muita coisa mudou desde a última postagem. Melhor, eu diria que TUDO mudou.

Publicar 001

 

Então pensei em desfazer esse blog ou refazer as postagens, tirar, acrescentar, editar… mas a vida é o que é, sempre em frente. De que adianta apagar daqui se fez parte da minha história?

No entanto, editei algumas postagens por não representarem mais minhas posições ideológicas e eu não quero passar mensagem que não me representa por aí. No mais antecipo meu mea culpa pelas bobagens que escrevi e continuarei escrevendo… e tentarei aparecer mais por aqui! :)

 

parto de maio

o grito dela emocionava.

o trabalho de parto vinha rápido, a galope, atropelando.
as vezes cedia o passo, mas continuava firme, intenso.
e aí, de repente começou a afirmar:
eu preciso.
eu preciso de algo.
de quê eu preciso?
…..
não sei. eu não sei de nada.
não sei a resposta, meu filho.
…..
as frases pareciam aleatórias… desavisados poderiam pensar que era delírio.
mas eu não,
eu sabia que elas vinham de um lugar muito profundo.
o significado estava além do que poderíamos entender em palavras.
era apenas sentir. e veio.
o sentimento bateu no peito e refletiu os olhos marejados.
era a beleza em si.
crua. nua.
era a condição humana revelando-se em fragilidade e força.
era o encontro inevitável de si mesmo, sem fugas, sem máscaras.
era apenas a verdade.

Relato de Parto de Luedva e Luís, nascimento de Laura

Luedva entrou em contato comigo pelo Facebook, já estava sendo acompanhada por uma obstetra humanizada, mas procurava uma doula. Marcamos de nos encontrar, mas esse encontro só veio acontecer muito depois.
Nos conhecemos pessoalmente em sua casa, ela e o marido me receberam de forma muito simpática… conversamos bastante e saí daquele encontro feliz por ter sido escolhida para acompanhá-los no nascimento de Laura. Luedva me contou um pouco a história de sua família e entre acontecimentos tristes e pesados ficou claro para mim que ela vinha de uma linhagem de mulheres fortes. Saí de lá certa de que começaria este relato dizendo isso: Luedva vem de uma linhagem de mulheres fortes.
Fomos nos falando ao longo das semanas.

No dia 19 de junho ela me ligou por volta das 20h dizendo que estava com contrações ritmadas, tinha ido caminhar na praia com o marido e depois iria para casar cronometrar as contrações, descansar e me dar um retorno. Por volta das 23h falei com ela pelo Facebook, ela me falava que as dores estavam fortes, mas suportáveis. Deixamos combinado que ela me ligaria se sentisse que a dinâmica havia mudado. Luedva e Luís são um casal tranquilo e reservado. Quis deixá-la a vontade para me ligar quando sentisse necessidade.

Eis que à 1:20 da manhã Luís me liga dizendo que ela estava com muita dor e ele não sabia mais o que fazer. Me ajeitei para ir ao encontro deles, tomei um açaí reforçado crente que ia passar a madrugada e quem sabe a manhã seguinte entre contrações muito intensas. Pois qual não foi a minha surpresa ao chegar na casa deles e me deparar com Luedva com sinais de quem estava numa fase muito ativa do trabalho de parto! Contrações a cada 2 minutos, durando 50 segundos, ela concentradíssima. Dei uma olhada na linha púrpura que estava bem proeminente. Mas por não ter um parâmetro do comportamento dela, resolvi observar por mais um tempinho. Ficou na bola todo o tempo e depois aceitou ir para o chuveiro. Lá as contrações pegaram forte. Ok, não havia mais dúvidas, era o final da dilatação mesmo.

IMG_0008-2

um pouco antes de ir para o hospital

Luedva sentou-se na banqueta, vieram mais duas contrações e a bolsa estourou. Liguei para a GO avisando e nos encaminhamos para o hospital. Era 3h da manhã.

IMG_0015

proteção

Ao chegar no hospital, foi avaliada pela plantonista: dilatação completa, a bolsa tinha um mecônio fluido. A obstetra chegou logo e fomos para o bloco. E ali eu reconheci a força que eu havia vislumbrado desde o nosso primeiro encontro. Determinada em trazer Laura ao mundo, Luedva fazia força durante as contrações, fechava os olhos e se concentrava.

IMG_0024

entre as contrações do expulsivo

 

vem, Laura! :)

vem, Laura! :)

Luís estava ao seu lado, atento. Não era preciso nada. Todos apenas assistiram àquele espetáculo da natureza: uma mulher dando à luz em toda  sua força e poder.

concentração e força

concentração e força

Laura nasceu às 4:26 e foi direto para o colo da mãe que a recebeu com um lindo olhar amoroso e emocionado.
És bem vinda, Laurinha!

És bem vinda, Laurinha!

Por causa do mecônio (que era fluido!) a neonatologista resolveu realizar alguns procedimentos, mas logo mãe e filha se reencontraram.
Já pude agradecer pessoalmente à família pelo parto lindo presenciei. Mas quero aqui reiterar: gratidão pela confiança! Estar no nascimento de Laura renovou minhas energias em um momento crítico da minha vida. Foi lindo, simples, preciso. Foi forte!
família completa! :)

o grande encontro dos 3! :)

Achei lindo quando depois uma contração muito dolorida ela se virou para a irmã que a acompanhava e disse algo como: “Luana, nossa mãe passou por isso três vezes!”
Era Luedva acessando a força ancestral que a move. E força é a palavra de ordem desse relato, é a palavra de ordem do clã das mulheres como Laura e Luedva.

IMG_0071

amor sublime

Sou doula!

 

Do dia 03 ao dia 06 de outubro estive fazendo o curso de formação de doulas pelo GAMA.

O GAMA (Grupo de Apoio à Maternidade Ativa) é pioneiro na capacitação de profissionais pela humanização do parto. Muita gente importante no cenário da humanização passou por lá e continua passando…

Agradeço ao meu marido por ter insistido que eu fizesse o curso (obrigada, amor!), pois além de uma oportunidade de capacitação, foi um momento de muitas reflexões para mim. Saí renovada e com energia para realizar muita coisa nova na minha vida.

Prática de massagens e toque

Prática de massagens e toque

Segundo dia de curso

Segundo dia de curso

Há alguns dias eu vinha conversando com Lisley sobre a ideia de montarmos uma roda de gestantes e mães lá em Campina Grande, pois sentimos essa ausência de informações e de apoio às mães por lá. Durante o curso, compartilhei minha ideia com Juliana e ela falou que se eu quisesse podia levar a Gestar e Maternar para lá. Achei ótimo! Então, o primeiro fruto desse curso é a “filial” Gestar e Maternar em Campina. Estamos conversando, sem pressa, para fazer tudo bonitinho e da melhor maneira possível, nos aguardem! ^^

Eu, Melânia Amorim e as facilitadoras da Gestar e Maternar.

Eu, Melânia Amorim e as facilitadoras da Gestar e Maternar.

 

**

Ontem meu pai ficou me perguntando para que danado eu inventei de fazer esse curso, pois segundo ele, deveria estar estudando para concursos.

Isso foi um tema das minhas reflexões… cada vez que alguém me pergunta POR QUE eu faço origami, curso de cinema, curso de doula ou qualquer outra coisa ao invés de estudar para concurso, confesso que nunca tenho vontade de responder por que quem elabora esses questionamentos dificilmente entenderá que mais importante que estudar é aprender, conhecer.

E o aprendizado não deve estar focado em apenas 1 área de interesse. Tudo está interligado e se complementa numa enriquecedora experiência de aprendizado, de aprofundamento e consciência. A vida é tão imensa, tantas coisas bonitas e interessantes no mundo para eu reduzir meu tempo a códigos e teoria jurídica. Ah, eu não… não agora.

Sempre soube que eu sou muitas coisas, que eu posso fazer muitas. Deus me deu muitas habilidades e muitos interesses. Estive me desviando da minha essência, mas, no auge dos meus 25 anos, decidi: vou ser tudo que quero ser!

**

Fotos: Cíntia Mapurunga

 

 

Post nº 1: um blog para chamar de meu

A ideia desse blog é antiga.

Quando eu estava mais ou menos no quinto mês de gestação comecei a buscar mais informações sobre o parto.Quanto mais eu lia mais eu tinha certeza:  queria parir. A construção dessa vontade foi aos poucos, dia após dia com textos, conversas e reflexões sobre o nascer, sobre o parto; essa experiência e força única das mulheres. Eu lia tanta coisa legal!

Eu estava em catarse: lia muita coisa interessante, as emoções da gravidez me envolviam e cada dia era uma descoberta, um jeito novo de enxergar a vida e de me relacionar com o bebê que me habitava. Uma experiência única, apaixonante, desafiadora. Eu queria registrar esse momentos, queria colecionar esses links e informações relevantes… até por uma questão prática porque as vezes quero indicar uma leitura para alguém e não lembro mais em que site encontrei.

nós 3

nós 3

Depois do parto a vontade do blog aumentou porque, clichê dos clichês, toda mãe de primeira viagem quer compartilhar a beleza dessa nova vida (dela e do seu filho). E aqui estamos nós!

Então é isso… o blog tem a intenção primeira de guardar momentos preciosos da gestação, parto e maternagem. Não sou muito boa em organizar o tempo, mas espero conseguir manter esse espaço, pois é  um blog para mim e pra Vinícius. Um blog sobre os nossos dias.

E se além disso eu conseguir, com minha própria experiência, ajudar outras pessoas que por acaso pousem aqui ficarei muito feliz. :)

Bem vindos!