Iniciando o método Montessori

Não sei bem como cheguei ao método Montessori.

No início ficamos um pouco hesitantes. Surgiram algumas dúvidas quanto  a esse método que prega a autonomia da criança (ficamos com medo do que essa autonomia poderia representar rsrsrs).

Mas à medida que eu ia lendo mais blogs de famílias que viviam o método eu fui me apaixonando. Confesso que fiquei encantada porque a criança que eu fui teria sido muito feliz sendo educada nesse método. Me identifiquei. Acredito que o encantamento veio mais de ver a prática de algumas famílias do que a teoria montessoriana em si. (Uma amiga ficou de mostrar uma visão contrária ao método, mas até lá seguimos encantados. hehehe)

A verdade é que toda vez que entro em um blog como o How We Montessori fico invejando a vida tão criativa e divertida daquelas crianças. hehehe Outro dia li no grupo Montessori para Mamães no Facebook uma postagem onde a mãe relatava uma brincadeira com a filha, inserida no contexto de educação cósmica. Ao ser questionada pela filha sobre os tempos pré-históricos, ela criou uma brincadeira onde a filha pudesse “vivenciar” a explicação. Construiu uma caverna com papel kraft, registrou no papel desenhos rupestres, moldou com argila utensílios… Bom, quando eu li isso pensei: “Uau!! Que massa isso!! Quem não queria aprender assim?”

Como eu sempre AMEI atividades manuais e criativas sempre pensei em realizar com meus filhos atividades assim, que exigissem criatividade e mão na massa. Mas eu não sabia que existia toda uma teoria voltada para a educação sensorial. Na verdade eu não fazia ideia que existia tanta coisa no mundo da maternidade… hehehe Desde que engravidei e comecei a pesquisar sobre o parto mais e mais assuntos foram (e vão!) surgindo. São tantos questionamentos… é tanta novidade, tantas leituras que eu gostaria de fazer outras que não posso deixar passar… enfim…  a maternagem ativa nos faz pensar fora da caixa. E antes de engravidar eu pensava que só existia essa maternagem padrão, tudo pronto dentro da caixa, comum em todas as famílias: dvd para entreter, papinha para alimentar, chupeta para acalmar, fralda para descartar… Estou adorando o outro lado, esse universo questionador da maternidade!

Assim, resolvi testar algumas ideias montessorianas. Ainda estou criando coragem para montar um quarto montessoriano de verdade, enquanto isso improvisei na sala mesmo um espaço para ele brincar:

Espaço montessoriano improvisado na sala

Espaço montessoriano improvisado na sala

 

Foi muito bonitinho quando coloquei ele no tapetinho e ele se viu no espelho… ficou se admirando um tempo, depois brincou com o móbile e ficou ali sozinho uns 20 minutos (qualquer mãe sabe que isso é um super tempo precioso!)

Primeiro dia no "espaço montessoriano"

Primeiro dia no “espaço montessoriano”

Adora brincar com a imagem no espelho.

Adora brincar com a imagem no espelho.

Para a idade dele, além desse espaço, o que dá para fazer são móbiles mais “cleans”, valorizando formas geométricas e cores primárias. O primeiro que fiz foi o móbile Gobbi, antes mesmo do espaço na sala. De início ele não se interessou muito, pois até então ele não se interessava por móbiles ou coisa do tipo. Mas um belo dia, enquanto almoçávamos, ele começou a olhar fixo para as peças do móbile e sem muita coordenação ficou tentar pegá-las. Quando conseguiu foi logo puxando para colocar na boca. Foi tão lindo ver essa evolução! Eu e Flávio ficamos achando que essa coisa móbile montessoriano funciona mesmo. hehehe

Inspirado no móbile Gobbi, mas feito com módulos Sonobe em origami.

Inspirado no móbile Gobbi, mas feito com módulos Sonobe em origami.

Resolvi testar o interesse dele por outros móbiles e para fazer um rodízio fiz também o móbile geométrico em cores primárias (esse é a junção de dois móbiles montessorianos). Usei cortadores de papel para esse.

Móbile geométrico em cores primárias

Móbile geométrico em cores primárias

Arrnacou os outros dois, só sobrou o amarelo.

Arrancou os outros dois, só sobrou o amarelo.

Também fiz móbiles com guizos e argolas de madeira, gostei muito de usar os guizos, mas só depois percebi o perigo que é! Pois os guizos podem sair do fio e o bebê acabar engolindo.

adorou essa argola com guizos, só depos percebi o perigo! rsrs

Adorou essa argola com guizos, só depois percebi o perigo! rsrs

A argola de madeira (sem os guizos) é um dos brinquedos preferidos.

A argola de madeira (sem os guizos) é um dos brinquedos preferidos.

Por fim, fiz o móbile arco-íris, todo de papel. Começou a desmanchar na boca de Vini, então desisti dele também. Mas como Vinícius gostou muito vou tentar fazê-lo de feltro. Quem quiser pegar mais dicas sobre os móbiles, nesse link (em inglês) tem vários modelos e por faixa etária.

 

Arco-íris de papel.

Arco-íris de papel.

Depois desse estímulo sensorial e visual, achamos que ele desenvolveu mais o tato e a coordenação motora que já são peculiares dessa idade. Tudo quer pegar, tocar, colocar na boca… nem o papai escapa:

Experimentando as texturas no rosto do papai.

Experimentando as texturas no rosto do papai!

 

Para saber mais sobre o método Montessori indico também o blog Lar Montessori.

– Ih, Vini, acho que a gente vai se divertir muito, viu! Te amo! :)